Da esquerda para a direita: Paulo Simão, Pedro Magalhães Ribeiro, Vanessa Brás, Hugo Vieira e Vasco Miguel Casimiro.

Ex.mos Senhores
Membros da Comissão Política Distrital,

CONVOCATÓRIA

Nos termos dos Estatutos do Partido Socialista convoco os Membros da Comissão Política Distrital de Santarém para o próximo dia 07 de Julho, Quarta-feira, pelas 21H00, na Sede da Federação Distrital de Santarém, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

1. Eleição da Comissão Organizadora do Congresso (COC);

2. Marcação do Congresso Distrital;

3. Marcação da data da Eleição do Presidente da Federação e dos Delegados ao Congresso;

4. Informações.

No caso de não poder estar presente, deverá pedir substituição.

Com as melhores Saudações Socialistas.


A Presidente da Mesa da Comissão Política

Idália Moniz



Dia 25 de Junho, sexta-feira, 21h15

Auditório Municipal - Páteo do Valverde, Azambuja

“A proximidade da Grande Lisboa: vantagem ou inconveniente?”


Oradores:

Inês Louro - Coordenadora do Secretariado do PS Azambuja

António Jorge Lopes - Vereador da CM Azambuja (eleito pelo PSD)

Pedro Magalhães Ribeiro - Presidente do PS Cartaxo



Entrada livre. Participa!


Organização: JS Azambuja e JS Cartaxo




Esclarecimento

Na sequência da notícia divulgada no sítio da Internet da Rádio Cartaxo com o título "Concelhia Socialista reuniu com Ministra", na qual se transmite que "a concelhia não reuniu com o titular da pasta da educação no município, Paulo Varanda, que nem sabia da reunião", o Secretariado do PS/Cartaxo esclarece:

1. A reunião realizada na passada quinta-feira, dia 17 de Junho, com a Senhora Ministra da Educação foi convocada pelo PS Nacional.

2. Como facilmente se constata no ficheiro em anexo, o PS Nacional dirigiu a convocatória a todos os Presidentes de Câmara Municipal (e foram muitos os que marcaram presença ou se fizeram representar pela vereação, como foram os casos, entre outros, de Lisboa, Abrantes, Mértola, Lourinhã ou Amadora), aos primeiros vereadores das Câmaras onde o PS é oposição, aos Presidentes de Federação e a todas as estruturas concelhias do PS.

3. O PS/Cartaxo fez-se representar pelo seu Presidente, Pedro Magalhães Ribeiro, e por Elvira Tristão, elemento que pertence ao Secretariado.

4. O PS/Cartaxo tem marcado presença assídua em todas estas reuniões de esclarecimento, como foram os casos das sessões de trabalho com o Ministro das Obras Públicas, da Administração Interna ou do Trabalho e Segurança Social.

5. O PS/Cartaxo continuará de forma empenhada a participar em todas as iniciativas do PS Nacional e do PS Distrital e a defender com determinação os interesses do nosso concelho.

Cartaxo, 21 de Junho de 2010


Inscrições para os seguintes contactos:

243322143; 912580539 ou pssantarem@ps.pt


P R O G R A M A



O FUTURO DA AGRICULTURA NO RIBATEJO

Dia 25 - Sexta-feira

• 15h – Visita a exploração agrícola – Hortifrutícola.


• 17h – Visita à Adega Cooperativa de Almeirim.


• 18h30m – Visita a exploração agrícola.


• 19h – Conferência de Imprensa na Sede do Partido Socialista em Almeirim

- Intervenções: Director da Universidade de Verão e Presidente da Federação Distrital de Santarém Paulo Fonseca


Dia 26 - Sábado

• 9h30m – Credenciação.


• 10h – Abertura dos trabalhos. (Convidados todos os membros do Governo do Distrito e todos os dirigentes distritais)


• 10h30m – Segurança Comunitária no Meio Rural

- Dr. José Conde Rodrigues (Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna)


- MODERADOR: António Gameiro (Deputado à Assembleia da República)

• 11h – Debate




• 11h15m – PRODER (Programa de Desenvolvimento Rural)

- Dr.ª Gabriela Ventura (Gestora PRODER)

- MODERADOR: Ricardo Figueiredo Segurado (Secretário Coordenador da Secção de Santarém do Partido Socialista)

• 11h45m – Debate


• 12h – Coffee Break.




• 12h15m – A Agricultura em Portugal: realidade e desafios

- Deputado Miguel Freitas (Coordenador dos Deputados do PS na Comissão de Agricultura)

- MODERADOR: João Sequeira (Deputado à Assembleia da República)

• 12h45m – Debate


• 13h30m – Almoço (Livre)




• 15h00 – O Sector Agro-alimentar em 2010


- Eng.º Nuno Russo (Director Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo)

- MODERADOR: João Galamba (Deputado à Assembleia da República)

• 15h30m – Debate




• 15h45m – A Política Florestal portuguesa

- Eng.º Amândio Torres (Presidente da Autoridade Florestal Nacional)

- MODERADOR: Anabela Freitas (Deputado à Assembleia da República)

• 16h15m – Debate


• 16h30m – Coffee Break




• 17h – A Agricultura no Ribatejo

- Eng.º Rui Barreiro (Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural)

- MODERADOR: Pedro Ribeiro (Vice-Presidente da Câmara Municipal de Almeirim)

• 17h45m – Debate



• 18h – A Nova PAC

- Dr. Luís Capoulas Santos (Deputado Europeu)

- MODERADOR: Manuel Afonso (Dirigente Distrital do PS)

• 18h45m – Debate



• 19h – O Futuro da Agricultura

- Sr. Ministro da Agricultura, Professor Dr. António Serrano

- MODERADOR: Sónia Sanfona (Governadora Civil de Santarém)


20h – Jantar de encerramento no Restaurante Moinho de Vento Intervenção do Presidente da Federação Distrital de Santarém Dr. Paulo Fonseca sobre o Futuro do Ribatejo (Inscrições prévias, até dia 18)

PS/Cartaxo reúne com Ministra da Educação


Hoje é dia de reunião de trabalho dos dirigentes nacionais do PS com a Senhora Ministra da Educação, Dr.ª Isabel Alçada.

A representar o PS/Cartaxo estarão Pedro Magalhães Ribeiro e Elvira Tristão. Na agenda do PS/Cartaxo estarão os assuntos relacionados com os investimentos previstos para as escolas do concelho do Cartaxo, assim como, suscitar esclarecimentos sobre as eventuais alterações à rede escolar de 1.º ciclo e sobre o modelo de avaliação dos docentes.

A reunião é na Sede nacional e terá início pelas 21 horas.


Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal, dia 18/06, pelas 21 Horas, dedicada ao tema:

A Mulher na Sociedade - 1910-2010,integrado no programa das Comemorações do Centenário da República.

Integrada nas Comemorações do Centenário da República e dedicada à mulher, realizar-se-á no dia 18 de Junho de 2010, pelas 21 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho do Cartaxo, uma Assembleia Municipal Extraordinária. Estarão presentes e farão comunicações, para além de representantes dos grupos municipais, a Dra. Fernanda Rollo, Presidente da Comissão das Comemorações do Centenário, a Sra. Governadora Civil e a Sra. Secretária de Estado da Igualdade.

Saudações Socialistas,

A Presidente da Assembleia Municipal,

Maria Manuel Simão


Hoje há reunião de Secretariado do PS/Cartaxo às 20 horas.
Na agenda, entre outras matérias, está a mudança para a nova sede na Rua Lopes Batista.

Caro (a) Camarada,

Dedicada ao Futuro da Agricultura no Ribatejo, vai realizar-se nos dias 25 e 26 de Junho a Universidade de Verão do Partido Socialista, em Almeirim.

O projecto é coordenado e dirigido pelo deputado António Gameiro e conta com a participação de dirigentes distritais, deputados eleitos pelo Distrito de Santarém, altos quadros da Administração Central, eurodeputados e membros do Governo de entre os quais os Secretários de Estado Adjunto e da Administração Interna, Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural e do Sr. Ministro da Agricultura.

A Universidade de Verão/2010 inicia-se no dia 25 de Junho com uma vertente prática que inclui visitas a unidades empresariais de excelência ligadas à hortifruticultura, à agro-pecuária e ao sector das adegas cooperativas.

No dia 26 a Universidade de Verão prossegue no Cine-Teatro de Almeirim com abordagem de temas tão diversos como Segurança Comunitária no Meio Rural, o PRODER (Programa de Desenvolvimento Rural), a Política Florestal portuguesa, a Agricultura no Ribatejo, o Sector Agro-alimentar em 2010, a Nova PAC e o Futuro da Agricultura.

Para os painéis que integram o segundo dia de trabalhos são convidados, para além dos quadros políticos já referidos, agricultores que intervirão quer a nível individual, quer em representação do associativismo agrícola.

As Inscrições são até ao dia 18 de Junho, para os seguintes contactos:
243322143; 912580539 ou pssantarem@ps.pt

Saudações Socialistas.

Um Abraço,

António Gameiro
(Director da Universidade de Verão)

José Sócrates, afirmou hoje que os números sobre a evolução da economia portuguesa e o comércio internacional são “boas notícias” para o país, salientando que, pela primeira vez, as exportações de electricidade foram superiores às importações.

“De Janeiro a Maio, e, pela primeira vez, Portugal registou um saldo positivo entre as exportações e as importações de electricidade” disse José Sócrates, qualificando este facto como uma “alteração estrutural” importante.

O contributo das energias renováveis, sobretudo a eólica, foi determinante para que, pela primeira vez, as exportações de electricidade fossem superiores às importações.

“Temos portanto três boas notícias, sendo a primeira a confirmação de que, no primeiro trimestre a economia esteve a recuperar mais do que o inicialmente previsto; a segunda, que as exportações continuaram a crescer entre Fevereiro e Abril; e a terceira, esta, de que, pela primeira vez, Portugal tem um saldo positivo no comércio de electricidade”, sublinhou o governante, à margem da I Cimeira Luso-cabo-verdiano, numa curta declaração sem direito a perguntas dos jornalistas.

O Instituto Nacional de Estatística reviu hoje em alta o crescimento da economia portuguesa no primeiro trimestre do ano, com o PIB a crescer 1,8 por cento face ao trimestre homólogo e de 1,1 por cento face ao quarto trimestre de 2009.

Entre fevereiro e abril de 2010, as exportações aumentaram 18,4 por cento face ao período homólogo, mas ainda assim o défice da balança comercial sofreu um agravamento de 176 milhões de euros.

Fonte: http://www.ps.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=2870&Itemid=1

Os sectores das energias renováveis e da mobilidade eléctrica vão ajudar Portugal a “reequilibrar a balança comercial” com o mundo, graças a várias empresas capazes de exportar conhecimento e tecnologia, disse hoje o ministro da Economia português em Xangai.

José Vieira da Silva falava à margem da segunda cimeira anual sobre desenvolvimento sustentável, intitulada Global Green Business Summit, que reuniu na cidade chinesa de Xangai governantes e especialistas internacionais.

Portugal “é um caso de estudo” no mundo no aproveitamento de energias renováveis e na implementação de um sistema de mobilidade eléctrica, referiu o ministro, o único convidado estrangeiro entre três chineses na abertura dos trabalhos.

O ministro da Economia citou a EDP como uma das empresas líderes mundiais no sector eólico e destacou o facto de haver mais empresas que permitem acreditar na exportação de “green business” português.

A Galp, na área dos biocombustíveis, a Efacec, na inovação de componentes eléctricos e electrónicos, ou a Critical Software, no desenvolvimento de aplicações, foram alguns de outros exemplos apontados por Vieira da Silva.

O leque está em expansão: na área, as empresas portuguesas podem ser globais ou “assumir posições de relevo em nichos de mercado”, que independentemente da dimensão podem ser um “importante contributo para o país”, destacou.

Na sua intervenção, Vieira da Silva comparou “os empreendedores e investigadores actuais” a novos navegadores, como aqueles que protagonizaram os descobrimentos portugueses, mas agora aliados “às novas tecnologias”.

Segundo referiu, as soluções energéticas podem até ser “uma das portas de entrada na China”, 500 anos depois de os portugueses terem sido os primeiros europeus a contactar com o país asiático.

Durante a abertura do encontro, as autoridades locais não esconderam a necessidade de encontrar soluções mais eficientes e amigas do ambiente no actual momento de expansão industrial e económica da China.

“Portugal é um caso de estudo”, seguido por “muitos olhos” do mundo, acrescentou Vieira da Silva, dando conta de um novo convite, desta vez de estudantes da Universidade de Pequim, para poder voltar a apresentar o plano do Governo português.

O Plano Novas Energias do Governo português tem como metas até 2020 reduzir a dependência energética de Portugal para 74 por cento, cumprir os acordos de combate às alterações climáticas, de forma a que 60 por cento da electricidade seja produzida por fontes renováveis, e diminuir em 25 por cento o saldo importador energético com a energia produzida a partir de fontes endógenas.

Para atingir tais objectivos, “os eixos principais são o automóvel eléctrico, as energias renováveis e a eficiência energética”.

Fonte: http://www.ps.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=2869&Itemid=1


O Secretariado do PS/Cartaxo reúne hoje com os eleitos do PS da Assembleia de Freguesia da Ereira.

O encontro está marcado para as 21 horas e na agenda está, entre outras matérias, a preparação da Assembleia de Freguesia do próximo dia 9 de Junho.

Destaques

1. Apreciação e deliberação da proposta de Plano de Actividades e Orçamento para 2010;
2. Apreciação e deliberação da proposta de uma nova sede para o PS/Cartaxo;
3. Análise da situações política local, regional e nacional;
4. Deliberações:

a. Aprovada, por maioria (2 abstenções), a proposta de Plano de Actividades e Orçamento para 2010.

b. Aprovada, por unanimidade, a proposta de uma nova sede para o PS/Cartaxo.

Fórum NOVOS DESAFIOS - Barack Obama

Divulgamos os vídeos do último Fórum NOVOS DESAFIOS. O tema foi a Campanha Eleitoral de Barack Obama e a oradora convidada foi a Professora da Universidade Católica Portuguesa, Doutora Rita Figueiras.









in http://www.barackobamavideos.net

O Conselho de Ministros de 1 de Junho aprovou uma Resolução que define os critérios de reordenamento da rede escolar, de forma a adaptá-la à escolaridade obrigatória de 12 anos, favorecer a promoção do sucesso escolar e combater o abandono e consolidar a organização dos agrupamentos de escolas. Foi decidido que, em regra, os estabelecimentos públicos do 1.º ciclo do ensino básico deverão funcionar com um mínimo de 21 alunos, minorando os riscos de abandono e insucesso escolar, que são comprovadamente mais elevados nas escolas de menores recursos.

A programação do encerramento das escolas, que não cumpram o referido requisito mínimo, a concretizar no próximo ano lectivo ou, no limite, até ao final do ano lectivo de 2010-2011, será definida em articulação com as câmaras municipais competentes, de modo a que os alunos a transferir, cerca de 3,5% do universo do ensino do primeiro ciclo, sejam encaminhados para centros escolares recentes e criando também soluções em matéria de rede de transporte escolar.

Fonte: http://www.portugal.gov.pt/pt/GC18/Noticias/Pages/20100601_Not_CM_Ensino.aspx

Comissão Nacional Altis: 30.05.2010



Fonte: http://www.ps.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=2856&Itemid=26


“Estamos perante uma candidatura que honra o país e à qual o PS adere”


O secretário geral do PS, José Sócrates, afirmou desejar “convictamente” a vitória de Manuel Alegre nas próximas eleições presidenciais e adiantou que pessoalmente se empenhará nesse acto eleitoral. Também o líder parlamentar do PS, Francisco Assis, salientou a ampla maioria com que o seu partido decidiu apoiar a candidatura de Manuel Alegre, mas advertiu que não poderão fazer-se leituras políticas globais em torno dos resultados das eleições presidenciais.

José Sócrates manifestou-se no final da reunião da Comissão Nacional do PS, que decidiu por ampla maioria (dez votos contra e uma abstenção) que este partido apoiará a candidatura presidencial de Manuel Alegre.

O secretário geral do PS congratulou-se com a aprovação da sua proposta de apoio a Alegre, dizendo que todos os membros da Comissão Nacional do seu partido “compreenderam muito bem” os seus argumentos.

“A minha proposta [de apoio a Alegre] foi baseada na ética da responsabilidade. Um partido tem de decidir. Não pode decidir não decidir”, disse, numa alusão crítica à corrente anti Manuel Alegre, que entendia que o PS deveria partir para as eleições presidenciais com liberdade de voto, sem apoiar qualquer candidato.

Para José Sócrates, a corrente anti Alegre “tinha uma opção que não fazia sentido para o PS”.

“Apoio Manuel Alegre de forma convicta, em nome de uma visão progressista para o país. Acho que Manuel Alegre é um homem de cultura, um homem de espírito, que conhece a cultura e a História portuguesa. Entendo que estamos perante uma candidatura que honra o país e à qual o PS adere”, justificou.
José Sócrates fez questão de frisar que a decisão de apoiar Manuel Alegre nas eleições presidenciais “não é apenas um apoio formal. Eu quero também que o Manuel Alegre ganhe”, acentuou.

“O PS é autónomo relativamente a todas as forças políticas e a todos os movimentos sociais. O que o PS neste momento decidiu foi apoiar Manuel Alegre. Estou empenhado em que Manuel Alegre ganhe as eleições presidenciais”, acrescentou.

Em conferência de imprensa, o líder parlamentar do PS, Francisco Assis, salientou a ampla maioria com que o seu partido decidiu apoiar a candidatura de Manuel Alegre, mas advertiu que não poderão fazer-se leituras políticas globais em torno dos resultados das eleições presidenciais.

O líder da bancada socialista advertiu que, em caso de derrota de Manuel Alegre nas eleições presidenciais, “todos os socialistas se sentirão também derrotados”.

Francisco Assis fez também questão de separar as eleições presidenciais de outros planos políticos: “Não confundimos os planos. Uma coisa é o plano das presidenciais e outra coisa é o plano parlamentar”, afirmou, dizendo que o objectivo da candidatura de Manuel Alegre, para ser vitoriosa, será o de unir os portugueses “desde o centro esquerda até à esquerda mais profunda”.

No plano interno, o presidente do Grupo Parlamentar do PS manifestou a sua convicção de que, após a decisão tomada pela Comissão Nacional do PS, haverá unidade dentro do seu partido “unidade” em torno da candidatura de Alegre.

E deixou um aviso aos dirigentes socialistas anti-Manuel Alegre: “esta decisão [da Comissão Nacional do PS] compromete todos os militantes”.


Fonte: http://www.ps.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=2853&Itemid=1

Em entrevista ao ps.pt, a Ministra do Trabalho, Helena André, afirmou que "as políticas sociais públicas são decisivas na promoção das condições de vida independentemente de opções ideológicas, por constituírem respostas ajustadas a problemas actuais do nosso país". Helena André reforçou ainda que a grande preocupação passa "sobretudo a empregabilidade, isto é, o rápido retorno dos desempregados à vida activa, seja dos jovens seja dos adultos em idade activa".

Entrevista à Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social, Maria Helena André

- De que forma as novas políticas sociais são factores essenciais para a melhor condição de vida dos portugueses?

As políticas sociais públicas são decisivas na promoção das condições de vida independentemente de opções ideológicas, por constituírem respostas ajustadas a problemas actuais do nosso país. As políticas sociais desenvolvem-se em diversos planos: trabalho; emprego; segurança social; apoios à reabilitação, entre outros. A coesão social e territorial são estruturais para a modernização de Portugal e delas depende a efectiva reforma das estruturas sociais no sentido da integração europeia. São o instrumento de acção transversal indispensável para o desenvolvimento do modelo social europeu, e o governo não prescinde deles para intervir de forma coordenada nos mais diversos sectores, ressalvando aqueles que são muito específicos (como a Defesa e os Negócios Estrangeiros). Estas políticas representam ainda uma questão de consciência social que distingue a nossa matriz ideológica socialista democrática, pelo que no poder ou na oposição, está sempre no centro da nossa agenda.

- Que factores acha que estão na génese do aumento gradual da taxa de desemprego? São factores nacionais ou internacionais?

A crise internacional influiu de forma decisiva na nossa economia e, portanto, também nos nossos níveis de desemprego. Naturalmente, as nossas circunstâncias próprias, como as baixas qualificações, pesam. Mas foi bem visível como a criação de emprego que o início da anterior legislatura tinha gerado, foi prejudicada pelo cenário que se gerou na passagem de 2008 para 2009. No entanto, vale a pena lembrar que os dados mais recentes (Abril 2010), do IEFP, indicam já uma quebra do número de novos desempregados, o que conjugado com os dados de retoma da actividade económica que surgiram nos últimos meses, indica uma evolução positiva, ainda que também gradual, da situação do emprego. Não devemos, contudo, negligenciar que a dinâmica de crescimento económico que parece estar a consolidar-se será o factor decisivo neste processo. E, para que a retoma não traga consigo o retorno a modelos económicos e de gestão ultrapassados, pois só com renovação dos sectores produtivos poderemos, a prazo, manter a competitividade de forma sustentada, sobretudo na dinamização da procura externa aos nossos bens e serviços transaccionáveis .

- De que forma é que acha que as novas medidas de emprego podem contribuir para a descida da Taxa de Desemprego? Quais classes etárias mais abrangidas?

Pretendemos ser equitativos quer nas medidas postas em práticas, quer nas medidas descontinuadas. Preocupa-nos sobretudo a empregabilidade, isto é, o rápido retorno dos desempregados à vida activa, seja dos jovens seja dos adultos em idade activa. Apesar de os efeitos serem diferentes nos segmentos jovens e nos menos jovens da população, certo é que o desemprego tem sempre custos sociais e não apenas económicos. Por isso, pretendemos que em todas as classes etárias a protecção ao emprego passe sobretudo pela promoção da empregabilidade (através da formação profissional e do estímulo à rápida reentrada no mercado de trabalho) e pela protecção social aquando da transição entre empregos.

- Que balanço faz do programa PARES?

O PARES é um dos programas com maior sucesso, quer a nível do montante de investimento em equipamentos de natureza social quer na criação de emprego socialmente relevante. É ainda exemplar pela interacção que gerou entre Estado central e autarquias, além de instituições do terceiro sector, superando todas as expectativas. Estamos a falar, até ao momento, em cerca de 425 milhões de euros (dos quais cerca de 212 milhões de investimento público), da criação de mais de 10 mil postos de trabalho permanentes (al que se somam 12 mil em obra) e de cerca de 40 mil lugares nas instituições criadas ou recuperadas no âmbito do programa. O balanço deste programa, aliás, pode bem ser exemplar para se perceber melhor o alcance e o significado das políticas sociais públicas enquanto instrumentos de justiça social e coesão territorial.
Temos sempre em mente as necessidades das famílias modernas e sobretudo ao apoio que dá à conciliação da vida profissional com a vida familiar. Como todos sabemos, as condições de vida nas sociedades modernas tornam cada vez mais exigente, mas também mais urgente, garantir a socialização saudável desde as crianças de mais tenra idade até aos idosos. Combater a exclusão social em todas as suas formas, desde o isolamento à solidão é uma valia essencial destes equipamentos.
Por isso, gostaria de terminar recuperando o inicio da minha resposta, acerca da exemplaridade do PARES no âmbito das políticas sociais públicas. Em todas as nossas opções visamos proporcionar uma melhor qualidade de vida a todos, assim estimulando uma melhor cidadania, assente uma dinâmica social inclusiva e capaz de criar para todos um futuro diferente para melhor.

Fonte: http://www.ps.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=2857&Itemid=1


Copyright 2006 | Andreas02v2 by GeckoandFly and TemplatesForYou | Design by Andreas Viklund
No part of the content or the blog may be reproduced without prior written permission.TFY Burajiru